ALTO DO RODRIGUES: Prefeitura constrói cisternas para abastecer escolas da zona rural

Arquivado em (Alto do Rodrigues) Por Wallacy Atlas on 14-01-2018

Para garantir o ano letivo dos alunos da rede municipal de ensino na zona rural do município, a Prefeitura de Alto do Rodrigues em parceria com o Centro Feminista 8 de Março, entidade integrante da ASA – Articulação do Semiárido, está construindo cisternas com o intuito de viabilizar o abastecimento d’água nas escolas pertencentes ao município.

Segundo a secretaria de Educação, foram contempladas com a construção de cisternas as escolas: Expedicionário Arlindo Martins (Tabatinga), Maria Correia de Oliveira (Tabuleiro Alto), Chapeuzinho Vermelho (Estreito), Joaquim Tereza (Canafístula), Branca de Neve (Ponciana) e Manoel Venâncio (Barrocas).

O objetivo da aquisição de cisternas é proporcionar acesso à água de qualidade e, em quantidade suficiente, para atender às necessidades.

Ainda de acordo com Wilson Cunha, o projeto recebeu financiamento do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, e é financiado através de recursos oriundos do Governo Federal.

As obras já entraram em fase de conclusão, e o projeto conta com o apoio das secretarias de Obras e Infraestrutura, Educação e Agricultura.

Cisternas garantirão abastecimento nas escolas da zona rural do município

facebooktwittergoogle_plusmail

CAERN não montou plano emergencial e macauenses sofrerão com a falta d’água

Arquivado em (Macau) Por Wallacy Atlas on 14-01-2018

O descaso da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte – CAERN com a população de Macau é algo desumano por parte da direção geral da empresa, que libera milhões de reais para construção de adutoras emergênciais que irão socorrer municípios como Mossoró e Assú, deixando os macauenses na penúria e clamando por água.

Na noite de ontem, sábado (13), o gerente da estatal em Macau, Joca Montenegro comunicou que o abastecimento seria interrompido em caráter ‘emergencial’ devido o baixo nível do Rio Piranhas/Açu, consequência da vazão diminuída na Barragem Armando Ribeiro, que opera com 11% da sua capacidade, o tal ‘volume morto’, e com a possibilidade de retorno no fim da tarde deste domingo, o que não é nenhuma certeza, afirmou Joca.

A empresa não montou um plano estratégico e emergencial para ‘acudir’ os mais de 30 mil macauenses, que vem sofrendo há mais de 5 anos com as constantes falta d’água devido a crise hídrica que assola a região Nordeste.

A verdade é que, a CAERN só está falida quahdo se trata de Macau, e o seu presidente, Marcelo Toscano que por várias vezes esteve no município somente falou, falou, falou e até hoje nada saiu do papel, dando um verdadeiro cambão na população.

facebooktwittergoogle_plusmail