MACAU: “O lucro da gestão pública é o social, somente na saúde aplicamos mais de R$ 16 milhões”, diz Tulio desmistificando o ‘caos’ criado nas redes sociais

Arquivado em (Prefeitura de Macau) por Wallacy Atlas on 05-08-2017

Ao lado da esposa, primeira-dama Andrea Lemos, Tulio fala do social

“Em Macau, existem duas situações, a real com as dificuldades e consequentemente os problemas que estamos enfrentando, com quedas permanentes e acentuadas de receitas e a tentativa de se criar o caos para obter lucro político”, disse o prefeito Tulio Lemos, durante pronunciamento no rádio, ontem, sexta-feira (04), quando se referiu ao clima de instabilidade administrativa que parte da oposição tenta criar nas redes sociais para confundir a opinião pública.

Para Tulio Lemos, é preciso levar em consideração que a maioria da população não depende de salários da prefeitura para sobreviver e usa os serviços públicos e que estes tem um custo para a gestão. “A prefeitura não administra apenas uma folha de pagamento, existe uma máquina pública funcionando para atender a todos. Esse custo deve ser contabilizado na hora que prestamos contas aqui dos recursos que entraram nos cofres públicos com a mais absoluta transparência”, pontou o prefeito.

Caos

Tulio disse ainda que uma cidade onde os servidores públicos estão recebendo seus salários dentro do mês trabalhado, com exceção de alguns casos de contratados, a educação e a saúde estão atendendo as demandas da população e a limpeza pública está funcionando, não pode está inserida em um contexto de caos e calamidade administrativa. “Mesmo que esses serviços apresentem falhas e a consequente necessidade de melhorias, não existe caos”, pontou.

16 milhões na Saúde

No pronunciamento na Rádio Salinas FM, o prefeito Tulio Lemos citou que somente na área da saúde, dos pouco mais de R$ 40 milhões que entraram nos cofres da prefeitura até o final de julho, cerca de R$ 16 milhões foram investidos em insumos, na compra de medicamentos e no pagamento de profissionais para atender toda a rede de unidades básicas e manter o Pronto Socorro Municipal e o Hospital Antonio Ferraz, funcionando com mais serviços, reabrindo por exemplo, o setor de obstetrícia e retornando com as cirurgias eletivas.

Mais serviços

“Temos que botar nessa conta aí os mais de 3 mil atendimentos do Centro de Especialidades Médicas-CEM, que passou de quatro para 19 especialidades, além dos custos de um setor de Raio X funcionando 24 horas e com viagens diárias de pacientes que precisam usar a rede pública e clinicas particulares em outras cidades”, elencou o prefeito.

Dificuldades

“O lucro do poder público é o social, não fugimos das dificuldades, assumimos aqui alguns erros gerenciais, vamos corrigi-los, cortando gastos e reduzindo o custo da máquina, para que a gestão possa honrar todos os compromissos”, disse o prefeito, agradecendo as manifestações de solidariedade e os votos de confiança que vem recebendo, diante da onda de ataques e boatos que a sua gestão vem sofrendo.

facebooktwittergoogle_plusmail

Postar um comentário